segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

.:. DÚVIDAS SOBRE BLINDAGEM? A AUTOLIFE ESCLARECE! .:.

Desde que começou a ser feita aqui no Brasil, em 1995, a blindagem de veículos ainda deixa muita gente de orelha pé e sem saber ao certo o que é verdade ou mito sobre mercado ou serviçoComo não dá para brincar com segurança e nem comprar gato por lebre na hora de proteger a família, a AutoLife resolveu colocar tudo em pratos limpos e sanar algumas das principais dúvidas sobre o assunto.

1. A blindagem danifica o sistema de suspensão dos veículos
Mito - A blindagem não estraga a suspensão do veículo, mas é claro que o peso a mais exige que o sistema seja inspecionado com maior frequência. Recomenda-se que a troca seja adiantada em 5.000 km. Nos casos em que a montadora recomenda a troca dos amortecedores a cada 40.000 km, por exemplo, é interessante fazê-la a cada 35.000 km.

2. Só carros de luxo são blindados
Mito - 70% dos carros blindados na AutoLife custam entre R$ 80.000 e R$ 140.000. Outros 20% são compostos por automóveis que custam de R$ 40.000 a R$ 80.000. Apenas 10% dos veículos que fazem o mesmo serviço custam acima de R$ 140.000. Para se ter uma ideia, o Corolla, o Astra e o Civic estão entre os modelos mais blindados atualmente. O que mostra que a blindagem de carros médios está em alta.

3. O veículo blindado perde um pouco da sua capacidade de carga
Verdade - É preciso considerar que, ao ser blindado, o carro fica mais pesado. O peso adicional médio é de cerca de 160 kg, o equivalente a duas pessoas adultas.

4. Motores 1.0 não aguentam o tranco
Verdade - Mesmo com a grande evolução da indústria blindadora nos últimos anos, os materiais usados no serviço ainda sobrecarregam um motor 1.0, com cerca de 90 cv de potência. O ideal, para que o propulsor responda bem ao serviço e atenda com agilidade o motorista, é blindar apenas carros com mais de 120 cv.

5. Quanto mais espesso os materiais (vidro, aço e manta), maior a proteção
Mito - As normas técnicas que especificam o nível de proteção contra projéteis são determinadas pela capacidade que o material tem em resistir às perfurações e não pela espessura. O progresso tecnológico mostra que é possível ter materiais mais finos e cada vez mais resistentes.

6. As mantas de aramida reduzem o peso da blindagem
Verdade - As mantas de aramida, mais conhecidas pela marca Kevlar, da DuPont, são mais leves que o aço, mas isso não significa que o metal pode ser dispensado da blindagem. As mantas não têm resistência mecânica nas bordas e o aço entra em diferentes partes do veículo, como em portas, colunas e próximo às bordas das mantas e dos vidros para complementar a proteção da cabine.

8. A blindagem perde totalmente o valor na revenda
Mito - A desvalorização da blindagem é similar à do próprio carro, de cerca de 20% no primeiro ano e de 10% a cada ano seguinte. Quanto melhor for o serviço, menor pode ser a desvalorização.

9. Boa blindadora é a que produz seu próprio vidro
Mito - Quem faz tudo, acaba não fazendo bem feito. Por isso existem empresas especializadas em fabricar vidros e que se dedicam a melhorar a proteção balística oferecida por esse material, assim como acontece com a empresa que produz as mantas e o aço. Por outro lado, quem monta os carros ganha tempo para pensar em aplicabilidade e atender adequadamente o cliente.

10. A blindagem ainda é um serviço caro e inacessível
Mito - Segundo dados da Abrablin - Associação Brasileira de Blindagem -, o valor médio do serviço é de R$ 48.750. Em picapes, por exemplo, a proteção pode sair por cerca de R$ 30 mil.

11. O revestimento Armura oferecido no mercado equivale à blindagem III-A
Mito - A proteção Armura, criada pela DuPont e eferecida ao mercado como um tipo de blindagem mais acessível, equivale a um nível de blindagem inferior ao II.
Na AutoLife ela é oferecida como proteção antivandalismo e em nenhum momento o cliente é estimulado a acreditar numa proteção balística pouco eficaz, comparada ao poder de fogo que os assaltantes usam comumente nas ruas.
A blindagem de nível III-A foi criada em 1995 e é hoje a mais utilizada no Brasil. Ela protege contra armamento de mão - de revolveres Magnum 44 a pistolas 9 mm de alta velocidade (submetralhadora), armas muito superiores às encontradas nas ruas e que vão muito além do 38 ou até mesmo da 9 mm convencional.

13. Os pneus podem ser blindados
Mito - É possível que eles recebam uma cinta de aço ou nylon que protegem a roda de impactos com o chão quando são atingidos, o que permite que o veículo ainda rode por cerca de 20 km.

14. É preciso licença para blindar um carro
Verdade - Antes de blindar um veículo é necessário pegar uma licença especial do Exército Brasileiro. Ao contratar o serviço a AutoLife cuida do processo para o cliente. Depois, a licença é como carta de motorista, deve sempre andar com o dono do carro.