quarta-feira, 29 de setembro de 2010

.:. AUTO-NOTÍCIAS - 29-09-2010 .:.

CHEVROLET LANÇA NOVA MONTANA, PRONTA PARA O LAZER E PARA O TRABALHO

A frente da nova Montana
O bonito painel
Visão da parte traseira
Visão lateral da Montana branca, cor que está voltando com muita força

A Chevrolet segue a todo vapor na renovação de sua linha de veículos no Brasil e mostrou, neste mês de setembro de 2010, a Nova Montana. É um veículo totalmente novo, sendo o segundo modelo da Família Viva - que inclui o Chevrolet Agile, novo referencial no segmento dos hatchs compactos.

E a Nova Montana chega repleta de novidades. Desde o design diferenciado, que mescla linhas belas e robustas – que passam a sensação da picape ser maior que todas as suas concorrentes, ficando entre uma picape pequena e uma média – até a maior capacidade de carga da categoria: 758 quilos. A Nova Montana será comercializada em duas versões, a LS e a Sport, cada uma delas voltada para um tipo de utilização: trabalho e lazer.

A Nova Montana possui um design que transmite ainda mais robustez e força, graças às suas linhas mais dinâmicas e fluídas. A frente segue o padrão global da Chevrolet, com a grade do radiador secionada e faróis com um estilo único. A superfície lateral desprende-se, mais larga do parachoque dianteiro, envolvendo o side step (degrau lateral) – lembrando as picapes Heavy Duty americanas - até chegar às lanternas, enquanto a tampa traseira tem um pequeno desnível na parte superior, projetado para melhorar a visibilidade.

“A nova Chevrolet Montana é um veículo para consumidores que buscam design diferenciado e capaz de combinar simultaneamente robustez e conforto”, observa Denise Johnson, presidente da General Motors do Brasil. “Além disso, a Nova Montana herdou do Agile características únicas, como a ótima posição de dirigir e diversos recursos de série”, salienta. Ela destaca ainda o grande espaço interno da cabine, inclusive para a bagagem atrás dos bancos e ainda a caçamba, com a maior capacidade de carga do segmento.

Mas, além do visual diferenciado e das qualidades mecânicas, a Nova Montana inova mais uma vez no segmento. Depois de ter sido pioneira na introdução do side step – degrau que facilita o acesso a caçamba e que foi amplamente copiado pela concorrência – a Nova Montana chega com um pacote de tecnologias exclusivas para o segmento, como piloto automático, computador de bordo, ar-condicionado com display digital e sensor crepuscular, elevando a oferta de equipamentos a um nível nunca antes atingido por nenhuma de suas concorrentes.

A Montana LS é a versão voltada para o trabalho e para o transporte de cargas. Robusta, ela tem uma nova suspensão traseira, com um projeto totalmente novo. Com molas e amortecedores especialmente desenvolvidos a LS oferece a maior capacidade de carga do segmento, 758 quilos, a serem distribuídos em uma caçamba de 1.100 litros (1.180 sem o protetor de caçamba). Já a versão Sport, pelas suas características, é mais esportiva e voltada para o lazer. Em outras palavras: tem o conforto necessário para o dia a dia, encara até uma aventura urbana e tem a competência para os finais de semana no campo ou na praia, carregada ou não.

Ambas as versões são equipadas com o eficiente motor 1.4 Econo.Flex, que possui um novo sistema de gerenciamento eletrônico totalmente desenvolvido pela General Motors no Brasil. Este motor gera 102 cv a 6.000 rpm e 13,5 kgf.m a 3.200 rpm quando abastecido com etanole 97 cv e 13,2 kgf.m a 3.200 rpm, com gasolina. É o motor 1.4 aspirado mais potente do mercado brasileiro.

DESIGN SURPREENDENTE PARA UMA PICAPE COMPACTA

A nova picape da Chevrolet não é imponente apelas pelo visual robusto. Ela é a maior picape da categoria, com 4,51 metros de comprimento, 1,70 metro de largura e 1,58 metro de altura. Sua frente segue o mesmo padrão global da Chevrolet, com a grade do radiador como um elemento trapezoidal secionada por uma barra, onde é aplicada a gravata dourada, símbolo da marca. A superfície lateral se desprende mais larga do parachoque dianteiro, envolvendo o side step (degrau lateral) até chegar às lanternas.

Estas, por sinal, são verticais e possuem um desenho diferenciado, que dão percepção de que a picape cresceu na parte traseira. Como os faróis, as lanternas tiveram um tratamento especial denominado "Efeito Jóia", ou seja, as peças são mais brilhantes e oferecem uma iluminação mais eficiente.

O teto da Nova Montana tem um detalhe de design bastante interessante e que complementa o visual da cabine. Trata-se de uma elevação, que começa alguns centímetros após a junção do teto com o parabrisa e vai até a parte traseira da cabine encontrando-se com o brake-light (terceira luz de freio). Outro detalhe é o rack de teto, item de série para a versão Sport.

A caçamba - uma das maiores da categoria, com 1.100 litros de capacidade (1.180 sem o protetor de caçamba) - possui uma iluminação direcional, graças ao brake-light, fixada na parte superior da cabine. Já a tampa traseira da Nova Montana tem um pequeno desnível na parte superior, projetado para melhorar a visibilidade traseira.

O parachoque traseiro do modelo é feito em chapa de aço – a Nova Montana é a única picape de sua categoria que utiliza este material -, tornando-se mais resistente quando alguma pessoa precisa pisar neste compartimento para subir na caçamba e colocar ou retirar alguma carga. E para ajudar, ainda há um degrau traseiro que, além de compor o design, tem uma função muito importante também para facilitar o acesso à caçamba.

A nova picape terá uma cor externa exclusiva: o Verde Jásper, disponível para ambas as versões. Trata-se de uma cor inspirada na natureza e em equipamentos esportivos e foi desenvolvida levando-se em consideração o consumidor jovem e aventureiro, que concilia sua agitada vida urbana com viagens para a praia e para o capo nos dias de folga.

O interior da picape da Chevrolet também se baseia no conceito do "dual cockpit" (dupla cabine, em português). É como se fossem dois ambientes num mesmo interior: o lado do motorista, mais técnico, focado na visibilidade e com os instrumentos a mão; e o lado do passageiro, onde se destaca o aspecto do lazer, com espaço maior para as pernas, e com os porta-objetos e recursos de entretenimento mais próximos. Apesar de serem dois ambientes, eles estão conectados pelo desenho do painel superior.

VERSÃO LS: ROBUSTEZ PARA O TRABALHO COM A MAIOR CAPACIDADE DE CARGA DA CATEGORIA

A Nova Montana LS é a versão de entrada da linha Montana e possui atributos ideais para os consumidores que utilizam picapes para o trabalho. A começar pela cabine Max Cab, com mais espaço – oferece 164 litros atrás dos bancos dianteiros, sendo a maior cabine simples do segmento - e conforto em relação aos concorrentes, além de oferecer a maior capacidade de carga da caçamba do segmento, com 758 quilos.

Para facilitar o transporte de cargas e preservar o assoalho e assegurar o valor de revenda, todas as versões possuem protetor de caçamba de série, dez ganchos para amarração de cordas, e o side step, que facilita o acesso ao compartimento. Neste quesito, aliás, a Chevrolet Montana foi pioneira e ainda serviu de base para que as marcas concorrentes seguissem pelo mesmo caminho.

A carroceria da picape recebeu atenção especial. A Nova Montana conta com estruturas reforçadas que garantem um comportamento torsional excelente. Além disso, as suspensões são compostas por novos amortecedores e molas, resultado de um novo projeto ainda mais robusto, para que a picape suporte ainda mais peso na caçamba, sem prejuízo da estabilidade. O conjunto oferece ainda excepcional estabilidade e conforto, características importantes para este tipo de veículo utilizado no transporte de cargas.

O modelo LS já tem parachoques pintados na cor do veículo e vem de série com rodas de aço de 14 polegadas e protetor de caçamba. Sua vocação para o trabalho só fica mais evidente nas maçanetas, frisos e capas de retrovisores em plástico preto, que além de passar o toque de robustez são mais bem preparados para encarar o trabalho pesado.

A versão LS existe em quatro diferentes configurações – da básica até a mais completa. Seus preços começam em 31.990 reais

SPORT: PRONTA PARA O LAZER, COM DESIGN ÚNICO E ULTRAMODERNO

A Nova Montana também pode ser adquirida na versão Sport, desenvolvida para o lazer, ou seja, para quem procura uma picape compacta para utilizar no dia a dia e viajar nos finais de semana ou feriados. Para quem procura o campo (sítio ou fazenda), ela carrega tranquilamente uma motocicleta ou as bicicletas. Para quem vai ao litoral, leva o Jet Ski com folga e facilmente uma prancha de surfe.

Com surpreendente visual externo, a versão Sport traz de série faróis com máscara negra, lanternas fumê, frisos, maçanetas e retrovisores pintados na cor da carroceria, barra de proteção no teto, adesivos na coluna – e nas portas, com o nome da versão -, itens que realçam ainda mais sua esportividade.

A Nova Montana também tem os parachoques na cor da carroceria e oferece, também de série, rodas de alumínio aro 15 polegadas, calçadas com pneus 185/60 R15 e faróis de neblina. Além disso, ela pode ser equipada com acessórios, como a capota marítima, para complementar o estilo mais esportivo e trazer maior conveniência.

A versão Sport existe em apenas uma configuração, a mais completa, e custa 44.040 reais.


CONCEPT CAR CITROËN LACOSTE: REFERÊNCIA EM ESPONTANEIDADE, DESCONTRAÇÃO E REQUINTE

Dois nomes, CITROËN e LACOSTE, com uma visão em comum: cultivar a audácia, a criatividade e o otimismo. Foi desta comunidade de valores que nasceu o CONCEPT CITROËN LACOSTE.Emblema de um estado de espírito, de um modo de vida e de uma postura requintada, este carro torna-se uma referência evidente ao mundo do lazer e do prazer.

Ele privilegia uma abordagem simplificada do automóvel para chegar ao indispensável, sem esquecer o requinte, e permite abordar a existência com uma leveza e um frescor irresistíveis.
Decidida e intrinsecamente, o novo conceito se posiciona no cruzamento do mundo automobilístico com o da moda e do esporte.

A bordo, a tecnologia se insere num registro lúdico que destaca um aparente paradoxo entre perfeito controle conceitual e leveza de tom.

Apoiado no seu porte diferenciado e na sua alegria de viver, ao mesmo tempo tecnológico e inovador, o CONCEPT CITROËN LACOSTE faz da viagem uma experiência inédita, uma aventura sensorial sem igual para todos seus passageiros.
Puro, simples e descontraído, porém mantendo-se sofisticado, o CONCEPT CITROËN LACOSTE coloca uma nova marca na definição do veículo de amanhã. Um veículo cujo objetivo é acabar com o ditado do “sempre mais” que reina às vezes no mundo automobilístico.

Este carro vem alimentar a reflexão da CITROËN quanto a esta abordagem que se concentra sobre o essencial para criar modelos inéditos, ao mesmo tempo acessíveis e virtuosos, mas mantendo-se ambições em termos de emoções, principalmente graças a um estilo totalmente inovador.

VIVER SENSAÇÕES AMPLIFICADAS

O concept CITROËN LACOSTE pretende romper com alguns preconceitos em relação aos carros compactos, mostrando firmemente que outros caminhos existem. Chique na sobriedade, elegante na descontração, este carro apresenta logo ao primeiro olhar a morfologia de um carro esportivo fora de série: linha de cintura alta, pára-lamas volumosos e com textura, balanço mínimo, rodas nas quatro extremidades da carroçaria e aros de rodas com imagem de bolas de golfe são seus adornos.

Depois, seu aspecto muito aberto chama a atenção. Ele promete favorecer claramente as sensações ao dirigir, porém mantendo inventividade e elegância.

Graças aos amplos recortes ao nível das portas dianteiras, na ausência de teto rígido, os passageiros se encontram em contato direto com a natureza. Os deslocamentos a bordo automaticamente aguçam as sensações dos passageiros que, em vez de estarem presos dentro de uma bolha protetora que os separa do mundo, evoluem para uma realidade onde as sensações são enaltecidas.

E, como se isso não fosse suficiente, o concept car oferece a possibilidade de abaixar completamente o pára-brisa até seu total desaparecimento – nesta configuração, ele se encaixa exatamente com as linhas do capô. À sua maneira, o carro destaca o conceito muito atual de realidade aumentada, dentro do qual a percepção do mundo assume uma nova acuidade, como se as sensações fossem exacerbadas.

A elegância do CONCEPT CITROËN LACOSTE busca oferecer esta abordagem, mas conservando a leveza de tom que se encontra inscrita no íntimo de seus genes. A escolha do modo de propulsão é assim direcionada. Não há a necessidade de grandes cilindradas que possam sugerir a ultrapassagem de velocidades proibidas em busca de fortes emoções.

O concept-car opta por um motor a gasolina de três cilindros com performances adequadas para mover um veículo de seu gabarito e de seu peso. Flexível, econômica e ecológica, esta motorização, com níveis baixos de ruído que fazem parte do ambiente lúdico da experiência, atende perfeitamente à lógica de veículo que privilegia o indispensável dentro da qual se inscreve o concept CITROËN LACOSTE.

Respeitoso ao seu meio ambiente graças à sua motorização, o veículo chama a atenção também pelas suas escolhas de concepção. Este modelo, mesmo equipado com pneus de grandes dimensões, parece mais “casar” com a natureza do que propriamente enfrentá-la. Essa impressão torna-se concreta pelo grafismo sutil sob forma de ondulações suaves das rodas do concept-car.

Essa abordagem faz pensar que o motorista do concept CITROËN LACOSTE brinca com os elementos para melhor divertir-se com eles. Graças a ele, cada deslocamento assume um sentido e reveste o caráter de uma experiência nova. O mundo assim percebido se torna ainda mais bonito e mais marcante.

ABORDAR A VIDA COM ESPONTANEIDADE

Além de ser reversível, como se abordasse a existência com mais leveza e frescor, o carro apresenta volumes avantajados, musculosos e que oferecem segurança. Compacto e robusto ao mesmo tempo (comprimento de 3,45 m, largura de 1,80 m, altura de 1,52 m e distância entre-eixos de 2,30 m), este modelo expressa know-how e controle sem falhas.

Desta sobriedade nasce o caráter chique e descontraído deste veículo. E sua cor dá ainda mais ênfase a este efeito: com o domínio da cor branca nacarada, a carroceria do concept CITROËN LACOSTE é reforçada por zonas azul marinho e por formas gráficas ou linhas que enaltecem os volumes do veículo.

Entrar no carro é uma questão de simplicidade. De fato, não há nenhuma porta dianteira, apenas amplos recortes combinando com o tratamento estilístico do carro. Para ocupar o banco traseiro, basta passar por cima das bordas laterais.

E quando o espaço torna-se imperativo, este banco pode ser escamoteado dentro do porta-malas, liberando um espaço interno para bagagens, materiais esportivos, etc. Além disso, o carro poderá, também, ser completado com artigos esportivos especificamente desenhados para ele, como raquetes de tênis, tacos de golfe, esquis, prancha de surfe, bicicleta, bola... que permitirão a seus usuários escolherem a temática para os seus fins de semana.

No cruzamento do mundo automobilístico com o mundo da moda e do esporte, o concept CITROËN LACOSTE multiplica as referências a esses diversos universos. Assim, o espaço interno do veículo compreende numerosos porta-objetos destinados a facilitar a vida a bordo. Discretos, eles são dissimulados debaixo das extremidades do painel de bordo e dentro dos dois bancos.

Fechados por meio de um zíper de cor verde, eles combinam com a mesma cor do topo dos assentos. Estes são cobertos com um tecido de algodão branco cuja trama evoca claramente as camisetas pólo, ícones da marca LACOSTE.

Quanto à fixação dos cintos de segurança, eles remetem ao colarinho destas mesmas camisetas. Os assentos são cobertos com um algodão mais resistente, em forma de corda, citação direta das costuras da marca.

Tal como um guarda-roupa que se compõe de vários tipos de roupas, acessórios e materiais, o concept CITROËN LACOSTE diverte-se com várias cores e materiais. Para manter seu caráter lúdico, simples e elegante, o conceito privilegia tons óbvios tais como o branco e o azul muito escuro.

Mas, para destacar o conjunto, vários toques de um amarelo muito forte, quase fluorescente, espalham-se pelo interior do carro, primeiramente ao nível das maçanetas em borracha flexível como se fossem bolas de tênis, bem como dentro dos diversos porta-objetos.

Leve e lúdico, o CONCEPT CITROËN LACOSTE tem tudo para ser considerado como um objeto familiar. Alguns detalhes fazem referência ao universo esportivo da marca do jacaré. Em várias áreas da carroceria, ao nível do capô e da divisória com o motor, foram projetados grafismos em relevo.

Com um aspecto quadrado, eles parecem ter escapado diretamente de uma rede de tênis. Esses grafismos são também visíveis nos aros de rodas do concept-car mas com um desenho que, desta vez, evoca o desenho de uma bola de golfe.

ANIMAR UMA TECNOLOGIA CRIATIVA E APAIXONANTE

A bordo do concept CITROËN LACOSTE, a tecnologia inscreve-se dentro de um registro lúdico e destaca este aparente paradoxo entre controle conceitual e leveza de tom. Assim, este modelo não possui nenhum teto fixo e mostra, no lugar dele, uma estrutura em forma de “T” que é fixada ao nível do pára-brisa para prolongar-se até o porta-malas.

Verdadeira coluna vertebral para este modelo, suas funcionalidades são múltiplas. Ajuda preciosa para instalar-se a bordo do carro, este “T” esconde também um dispositivo astucioso que oferece um abrigo mais completo aos passageiros. Uma capota automática que se abre ao longo desta estrutura para formar um teto soft.

Na mesma filosofia, a faixa do painel transforma-se na tela do painel de instrumentos. Ela serve de suporte às informações de direção, tais como velocidade ou indicações direcionais. As mensagens aparecem sob a forma de pictogramas com pixels super-dimensionados. Associado ao posto de direção, o volante de dois raios do concept CITROËN LACOSTE surpreende pela sua concepção apurada, sua simplicidade e sua amplitude.

Contudo, quando se trata de deixar espaço para a entrada dos passageiros dianteiros, este último pode ser deslocado de seu eixo habitual. Enfim, até mesmo os faróis dianteiros e as luzes traseiras do concept car fizeram-se discretos até ficarem invisíveis.

Dissimulados debaixo da pele azul marinho do veículo, eles só aparecem então quando eles entram em ação. Além de uma sobriedade visual aparente, esta solução permite uma encenação única e feérica das funções de iluminação.

22ª GINCANA DO CAMINHONEIRO: UMA MULHER ENTRE OS FINALISTAS DA PENÚLTIMA ETAPA!

Três paranaenses conquistaram os melhores tempos na 5ª etapa classificatória do maior evento itinerante das estradas

Amiria Mottin está na final
Slalom uma das provas da gincana dos caminhoneiros

Entre os dias 24 e 26 de setembro, 479 caminhoneiros de todo o país estiveram presentes no Posto do Décio, em Araporã/MG, para disputar mais três vagas classificatórias na penúltima etapa da 22ª Gincana do Caminhoneiro, evento promovido pela Revista Caminhoneiro, com patrocínio da Volkswagen Caminhões e Ônibus e apoio da Cummins Brasil e Goodyear do Brasil.

Os competidores tiveram como objetivo percorrer o trajeto sem derrubar nenhum cone e atingir o tempo pré-classificatório estabelecido pela organização - 20 segundos e 800milésimos - para aquele percurso. Atingida a meta, o pré-classificado partia para uma segunda fase, uma nova tomada de tempo, agora com um grau de dificuldade maior: um novo traçado, que exigia mais habilidade nas manobras.

O primeiro colocado na etapa foi Ismael Enik, de Campo Largo/PR, com o tempo de 19 segundos e 655 milésimos. A segunda colocada, por uma diferença mínima de milésimos de segundos, foi Amíria Regina Mottin Strapasson, de Colombo/PR, com o tempo de 19"679; e o terceiro, Mauro Augusto Chianfa, de Arapongas/PR, com o tempo de 19"920.

Eles estarão na grande final do evento, que acontece no dia 21 de novembro, no Posto Texano, em Campo Largo/PR, quando o grande campeão levará para casa um caminhão VW Constellation 24.250 zero km.

Vale lembrar que ainda resta uma etapa da 22ª GINCANA DO CAMINHONEIRO, que acontecerá entre os dias 18 e 20 de novembro, no Posto Texano (Rod 277 km 123) em Campo Largo/PR.

* Promovida pela Revista Caminhoneiro, com patrocínio da Volkswagen Caminhões e apoio da Cummins Brasil e Goodyear do Brasil, a 22ª Gincana do Caminhoneiro - competição amadora para profissionais do volante - é dividida em seis etapas, realizadas de março a novembro de 2010.

Em cada uma das seis etapas, classificam os caminhoneiros que obtiverem os três melhores tempos. Na grande final, os dezoito classificados ao longo do ano, disputam o tão cobiçado prêmio: um caminhão VW Constellation 24.250 zero km! Ao segundo colocado, caberá um automóvel Gol zero km e ao terceiro, um notebook.

Nenhum comentário: