quarta-feira, 29 de agosto de 2007

.:. Artigo - Chave a preço de ouro .:.

Tecnologia veicular é ótima. Facilita a vida, aumenta a segurança e o conforto, mas em determinados casos, pode ser um pesado fardo no bolso do consumidor.
Quem me conhece ou lê de vez em quando sabe que sou fã de carteirinha do extinto Classe A. Apesar de extinto em sua versão nacional, continua sendo o compacto mais moderno e seguro do país. É também durável. Minhas duas filhas usam o compacto Mercedes-Benz desde 1999. O carro já passa dos 100 mil quilômetros rodados, mas continua impecável. Bem tratado, fez todas as revisões recomendadas pelo fabricante, o que não fica barato, mas acaba valendo à pena.
Só que às vezes o peso no bolso do consumidor é exagerado. Como tudo no carro, a tecnologia da chave de ignição também é de ponta e quem precisar trocar o equipamento vai ter que desembolsar R$ 741 por uma segunda via. É o preço que as concessionárias autorizadas da marca cobram no balcão de peças por uma chave do Classe A.
Para um carro que vale no mercado algo em torno de R$ 25 mil, pagar R$ 741,00 pela segunda via da chave é realmente fora de propósito.
Como a tecnologia que embute a chave do Classe A é sensível, deve ser tratada com todo o cuidado, não pode ser largada em qualquer lugar, se cair líquido em cima vai para o espaço e se levar tombos, algo muito comum em se tratando de chaves, o risco de ficar inutilizada é alto.
Depois de 100 mil quilômetros e alguns reparos no meio do caminho, a chave do nosso Classe A pediu tempo. A solução sugerida pelo consultor técnico da concessionária, diante seu estado de dar pena, foi aposentar de vez à coitada e comprar uma nova.
Entretanto, pagar R$ 741,00 por uma chave nova, para um carro nem tão novo assim, chega às beiras do inconcebível para quem não tem dinheiro saindo pelo ladrão e tem por ele algum respeito.
Conversa aqui e ali, descobrimos que existe na cidade um gênio da eletrônica, que nunca acorda antes de meio dia, trabalha quando quer e em casa. Sua função é aliviar um pouco o bolso de quem se depara com imbróglios desse tipo. É um respeitadíssimo restaurador de chaves eletrônicas, com especialização em chaves de Mercedes-Benz e recomendado, com certa discrição, pelos próprios consultores técnicos da oficina autorizada. Como um médico cirurgião de CTI, recebe as coitadas em estado de penúria, leva-as à mesa de operação e, como em um passe de mágica, devolve-as novas, quase em folha, às aliviadas vítimas da tecnologia e, o que é mais importante, com todas as funções operando.
O preço para o serviço não é lá uma barganha. No nosso caso cobrou R$ 250,00, um terço do valor de segunda via nova. Dos males o menor.

(Fábio Doyle)

4 comentários:

Cacauab disse...

Achei muito interessante o artigo, mas o mais importante não foi informado: como falar com o tal "mágico da chave do Classe A"?.
Preciso dos serviços dele e agradeço a quem puder informar um telefone, e-mail, endereço, ou algo que o valha.
Antônio Carlos

Roberto disse...

EU GOSTARIA DE RECEBER OS DADOS DE CONTATO DO PROFISSIONAL QUE CONSEGUE RESTAURAR A CHAVE DO MERCEDES CLASSE A. GRATO ROBERTO

barao wagner disse...

Fala Mano!!!! Qual o endereço do DOCTOR!!!! Estou com um puta problema!!!!! Passsa o e-mail ou telefone dele!!!!! Valeu !!! Abraços

BIRA ZYRUS disse...

amigo, por favor manda o contato com esse profissional. abraço

meu e-mail é bira_zyrus@hotmail.com