terça-feira, 15 de janeiro de 2008

.:. ALTA RODA .:.

Fernando Calmon

VENCEDORES E VENCIDOS

Em um ano de recorde, as fábricas apressam-se em anunciar bons resultados, mas o que conta mesmo é a posição relativa. Modelos que crescem acima da média do mercado ganham participação e, em 2007, alguns realmente surpreenderam, como o Tucson e o Fusion.

O ranking tradicional desta coluna precisou ser revisto em função de certa subversão dos conceitos clássicos de enquadramento. Critérios de distância entreeixos e inserção previsível nos diversos segmentos necessitaram de reavaliação.

Um dos exemplos é o Logan, que ainda não aparece na classificação porque teve poucos meses de venda. Seu porte é de carro médio com preço de compacto, proposta inédita.

Outro, o C4 Pallas, tão grande que rivaliza, dentro da própria linha Citroën, com o antigo C5. Vectras sedã e hatch dividem a mesma arquitetura com o Astra e tornam ainda mais difícil a formação de um ranking técnico.

O mercado brasileiro conserva distorções. Convivem gerações novas e antigas, além de carrocerias vistosas sobre arquiteturas ou bases mecânicas nem tanto. São reflexos de anos difíceis pelos quais a indústria passou.

Segmentos pouco representativos em vendas ou em que a oferta se restringe a apenas dois modelos (stations grandes e multiusos, respectivamente) saíram do ranking e entrou o disputado grupo de utilitários esporte grandes.

Os resultados compilados por Paulo Garbossa, da ADK, apontam a participação porcentual nos diversos segmentos e os principais destaques de cada um. Quando a disputa tem maior peso, há mais modelos.

A lista não esgota tudo o que está no mercado e difere das fábricas.

Compactos: Palio+Siena, 21%; Gol, 16,5%; Celta+Prisma, 12,2%; Corsa hatch+sedã+Classic, 10,9%; Uno, 8,7%; Fox, 8,6%; Fiesta hatch+sedã, 7,6%; Polo hatch+sedã, 3,4%; 206, 2,6%; Clio hatch+sedã, 2,2%. Família Palio firme. Fox ameaça Uno.

Médios-compactos: Civic, 18,6%; Vectra hatch+sedã, 13,6%; Corolla, 13,4%; Astra hatch+sedã, 13,2%; Focus hatch+sedã, 8,5%; Golf+Bora+Jetta, 8,2%; 307 hatch+sedã, 6,8%. Civic ainda confortável.

Médios-grandes: Fusion, 61%; Accord, 9%; Classe C, 6,2%; BMW 5,9%; Passat, 4,9%. Fusion, pelo preço, imbatível.

Grandes: Omega, 27%; Mercedes E, 22%; Chrysler 300, 21%. Omega recuperou liderança.

Topo: Mercedes S, 44%; Maserati Quattroporte, 17%; BMW 7, 12%. Classe S consolidado.

Stations pequenas: SpaceFox, 35%; Palio, 23%; Parati, 22%. SpaceFox continua crescendo.

Stations médias: Corolla, 45%; Mégane, 31%; 307, 11%. Líder ganhou espaço.

Monovolumes pequenos: Fit, 39%; Idea, 35%; Meriva, 26%. Idea se aproximou.

Monovolumes médios: Zafira, 39,5%; Picasso, 39,3%; Scénic, 17%. Empate técnico.

Pickups pequenas: Strada, 52%; Saveiro, 21%; Montana, 19%. Strada sem rivais à altura.

Pickups médias: S10, 32%; Hilux, 28%; Ranger, 18%. Difícil S10 entregar a liderança.

Utilitários esporte pequenos: EcoSport, 58%; Tucson, 15%; Pajero TR4, 9%. EcoSport absoluto.

Utilitários esporte médios: Pajero Full+Sport, 36%; Hilux SW, 31%; Blazer, 8%. Pajero parece seguro.

Utilitários esporte grandes: Discovery, 27%; Veracruz, 17%; Range Rover, 14%. Liderança forte.

Esporte: Mercedes SLK, 37%; TT, 12,5%; Eclipse, 12,4%. Que briga pelo segundo lugar.

RODA VIVA

MAIS um acordo pontual confirma a tendência. Nissan desenvolverá para a Chrysler uma versão do Versa — sedã do Tiida produzido no México e exportado aos EUA — específica para comercialização na América do Sul. Não existe aliança ou troca acionária envolvida. A exemplo do novo Ka europeu, baseado na arquitetura do Fiat 500, são acertos de pura conveniência.

ANFAVEA, discretamente, sugere que a futura inspeção técnica veicular (ITV) — quando implantada — deveria ser de dois em dois anos para carros seminovos, como no mundo todo. Os problemas se concentram na frota de mais de sete ou anos de idade, quando de fato a ITV poderia ter periodicidade anual. Jackson Schneider, presidente da entidade, vem opinando nesse sentido: primeira inspeção, apenas no quarto ano.

COMPANHIA de seguro Brasilveículos acaba de admitir anúncios classificados de veículos gratuitos em seu site (www.bbseguroauto.com.br). Aberto, inicialmente, para clientes ou não da empresa, acirra ainda mais o disputadíssimo mercado de compra e venda pela internet. Esse canal de comercialização expande-se de forma avassaladora sobre as mídias convencionais.


Nenhum comentário: